7 Dicas Simples Para Enfrentar o Nervosismo Próximo ao Dia da Prova

Você que esta se preparando para uma prova importante como concursos, vestibulares, exames da OAB, confira  nossas dicas para enfrentar o nervosismo nos dias que antecedem o dia da prova

 Todo mundo que já fez uma prova importante como concurso público, exame da OAB e algum vestibular, sabe que quando começa a chegar perto da prova o nervosismo chega junto, muitas pessoas são tão afetadas pela ansiedade que acabam prejudicadas na prova, quem não tem um amigo que estuda muito e não consegue passar?  Quem nunca teve um branco na hora da prova? O nervosismo pré-prova pode ser a resposta para essas questões, veja as melhores dicas para se preparar psicologicamente para a sua prova.

Nervosismo pré-prova

meditando

1 – Descansar a mente e se distrair

Segundo a psicóloga Ana Paula Huber, o candidato deve se distrair nos dias anteriores a prova, claro que sem excessos:  “É importante descansar a mente e se distrair, sem excessos. A cobrança é um fator que contribui muito para aumentar o nervosismo. Procure pensar em outras coisas e encarar a prova como fazendo parte de mais uma etapa, como tantas, que terá que enfrentar daqui para frente, e não como a sua única chance ou dar conta de todo o investimento que foi feito”.

2 – Leitura

Mirian Paura professora de pós-graduação UERJ sugere que o candidato leia as últimas manchetes dos jornais,  “Eu sugiro que o aluno leia, pelo menos, as manchetes dos jornais com as últimas notícias que estamos vivenciando para se manter informado. Depois, é importante descasar e relaxar”.

3 – E se der um “Branco”?

A professora Mirian Paura sugere, “Respire profundamente, peça permissão para sair da sala e beber um copo de água e, ao retornar, comece a ler desde o início. Assim terá mais força e maior concentração”.

4) Não estudar matérias novas na véspera

O candidato não deve estudar novas matérias dias antes da prova, “Não adianta atirar para todos os lados nos últimos dias. Deve-se passar por temas recorrentes de provas anteriores, como a crase, por exemplo, para se certificar de que aquilo está consolidado na mente”.

5) Roupas confortáveis

O uso de roupas confortáveis, “O candidato tem de ir com uma roupa que o deixe confortável quando ele estiver na sala de aula e que contemple possíveis mudanças de temperatura, tanto para o frio como para o calor, não existe nada pior que o desconforto, desconcentra e muito”.

6) Mude de ambiente

“Geralmente o candidato já se preparou por um longo tempo, e se ele for estudar nos últimos dias, vai reparar mais naquilo que ele não sabe e isso aumenta a tensão. Por isso, é necessário procurar fazer coisas que dá prazer para deixá-lo tranquilo”. Se o candidato acha necessário estudar ainda mais nos dias anteriores procure evitar conteúdos novos.

7) Seja otimista e acredite

A psicanalista e neurocientista Nancy Azevedo Cavaco, diz que o candidato precisa acreditar em si mesmo e que vai fazer uma boa prova, “O candidato tem que se comportar como alguém que tem capacidade para passar porque se ele pensar que vai ter dificuldades num determinado setor essas dificuldades acabam acontecendo por associação”.

10 Objetos Indispensáveis Que Vão Turbinar Seus Estudos Para Concurso

10-objetos-concurso

De maneira geral, em se tratando de organização, quanto menos você utiliza, é mais difícil que a bagunça e a falta de foco ocorra. Porém, nos estudos para Concurso Público há alguns objetos básicos, fundamentais, que vão evitar que você se distraia e vão qualificar a sua preparação.

Selecionei 10 objetos que são indispensável para estudar, pois tê-los à disposição ajuda a não precisar levantar da mesa de estudos para não interromper a concentração e que colaboram com o registro daquilo que é importante para consultas posteriores.

Confira abaixo quais são os 10 objetos e como  utilizar no dia-a-dia.

1 – Marca Texto

marca-texto

Um Marca Texto é fundamental para destacar as partes essenciais de uma apostila ou livro. Se você tiver que ler todo o conteúdo sempre que for fazer uma revisão para algum concurso ganhará muito tempo se isso foi feito na leitura anterior.

O Marca Texto ajuda você a perceber quais partes do conteúdo são prioritários e possuem frases ou palavras chave para a compreensão do assunto.

2 – Quadro

quadro

Posicione um quadro (pode ser de giz ou de pincel atômico) de tamanho médio na frente da sua mesa de estudos. Nele você vai anotar fórmulas, palavras-chave e expressões que você precisa consultar sempre que está estudando.

Consultar livros a todo o momento é desgastante e tira a concentração, por isso, use um quadro. Também é importante escrever no quadro as metas de estudo no dia.

3 – Post-it

post-it

Post-it são aqueles papeizinhos retangulares coloridos, com uma pequena linha de cola no fundo. São ótimos para lhe lembrar de ações necessárias durante os estudos (lembre-se: concurseiro não confia na memória!).

O legal dos post-it é que eles podem ser colados até mesmo em livros, sem estragar as páginas. Isso facilita lembretes como àqueles que você quer “indicar” para pesquisar algo que não entendeu em determinado assunto.

4 – Canetas Coloridas

canetas-coloridas

Essa dica é bem pessoal que pode ajudar algumas pessoas

Tente usar canetas coloridas destinando cada cor a um tipo específico de anotação. Por exemplo: anotações verdes são aquelas que expressam seu entendimento sobre o que leu; anotações pretas são dúvidas que ficaram após a leitura; anotações vermelhas são aquelas que indicam algo essencial para o dia da prova.

Se organizando assim você vai poupar bastante tempo em consultas posteriores.

5 – Tablet (sem internet)tablet

Não adianta: em algum momento você vai precisar consultar livros e referências externas ao que está lendo no momento.

Que tal ter toda uma biblioteca em um tablet? Além de ser mais barato é mais fácil de fazer buscas e você não terá livros amontoados na sua mesa de estudos. Fora a facilidade que alguns aplicativos (dicionários, tradutores etc) oferecem.

Basta desconectar da internet, excluir jogos e aplicativos impertinentes e aproveitar os benefícios dessa tecnologia.

6 – Caderno de matérias

caderno

Use o poder das canetas coloridas citado acima, para organizar um caderno com suas anotações preciosas. É importante que ele esteja dividido por disciplinas, para evitar bagunça.

Ao anotar pontos importantes você fixa melhor o assunto e garante um recurso fantástico para futuras revisões

7 – Luminária

luminaria

Cansaço, dor de cabeça e falta de concentração são sintomas de problemas com sua iluminação. Sugiro que tenha uma boa luminária por perto quando for estudar.

8 – Garrafa de Água

agua

Deu sede enquanto está no meio daquele assunto que exige toda a sua concentração? Tenha a seu lado uma garrafa com água para evitar levantar e se distrair.

Além disso, estar hidratado ajuda o funcionamento do cérebro e o seu desempenho nos estudos.

9 – Cadeira Presidente/Diretorcadeira

Esse certamente é um dos itens sugeridos mais importantes. Tenha urgentemente uma cadeira que regule a altura, que seja giratória e possua encosto móvel, além de ser bem acolchoada.

Esses elementos vão acabar com o desconforto durante seus estudos, evitando inclusive que você tenha lesões por esforços repetitivos (LER).

Ao estudar para concurso em uma cadeira dura, imóvel e desconfortável você pede para não aprender nada.

10 – Símbolo

bussola

Sempre que estudar coloque uma bússola do lado. Quando perder o foco e enxergá-la ela te dirá: “volta para o seu norte!”.

Escolha seu objeto e a mensagem que ele deve passar para você, e faça com que ele seja seu disciplinador durante os estudos.

Agora você já sabe quais são os 10 objetos que são indispensáveis  no estudo para Concurso Público. São eles: Marca Texto; Canetas Coloridas; Quadro; Tablet; Garrafa de Água; Post-it; Caderno de matérias; Luminária; Post-it; Cadeira Diretor/Presidente e um Objeto simbólico.

Essas são as utilidades de cada um desses objetos, que no geral evitam a quebra da concentração e qualificam os estudos.

10 Dicas Para Aprimorar a Memorização

 

Fazendo prova

Quem pretende passar em um concurso público precisa estudar bastante, a fim de absorver muitos conteúdos.

Mas esse hábito somente não adianta: é necessário ainda ter uma ótima memória, ou seja, capacidade de reter e depois resgatar todas as informações e ideias que foram anteriormente adquiridas e aprendidas.

Mas com tantas disciplinas e regras no edital do concurso, será possível dar conta de tudo em tão pouco tempo, e ainda assim lembrar as matérias na hora da prova?

Veja como confiar mais na sua memorização com as 10 superdicas a seguir!

1 – Estude em ambiente adequado

Pode parecer uma bobeira, mas trabalhar e estudar em ambientes que não tirem a sua atenção e sejam mais silenciosos, iluminados e organizados servirão de incentivo para os seus esforços e facilitarão a fixação do material lido e examinado.

2 – Durma bem

Na maioria das vezes, ficar sobre pressão, virando noites para estudar, não traz bons resultados.

O cérebro precisa de descanso e intervalos para funcionar bem e reter o que está sendo visto nos livros e apostilas.

Portanto, repouse pelo menos 7 ou 8 horas de sono todas as noites e não deixe de ter momentos de lazer.

O cansaço causa lapsos de memória e fadiga mental.

3 – Faça coisas diferentes

Driblar de vez em quando a sua rotina é muito eficaz para intensificar a sua atenção ativa.

Coisas simples podem ser feitas, como pegar caminhos diferentes para voltar para casa, ou ir a lugares que nunca foi antes.

4 – Melhore a sua concentração

A concentração é um importante fator para o processo de memorização, e pode ser facilmente desenvolvida com alguns exercícios.

Um dos mais conhecidos é a técnica do ponto fixo: você deve fixar um objeto que tenha mais ou menos 5 centímetros de diâmetro a sua frente.

Tire da cabeça todos os pensamentos enquanto olha o objeto, mantendo foco total no ponto de observação.

Repita esse exercício todos os dias, por alguns minutos.

5 – Trabalhe a sua habilidade de resgatar informações

Exercite a sua memória direta, fazendo exercícios como esse: monte duas colunas em um papel e, em uma delas, tente escrever tudo o que você pode comprar com uma moeda de um real; na outra, registre tudo que você pode comprar com uma nota de dez reais.

Agora, sem olhar para o que está escrito, tente se lembrar de tudo que relacionou, e escreva em outro papel.

Depois, compare a última lista com as duas anteriores, e veja o seu desempenho.

Faça isso com outros elementos, usando outras motivações que não sejam compras em dinheiro.

6 – Grave e ouça

Algumas pessoas são mais auditivas do que visuais, e guardam melhor na memória um material que foi ouvido e repetida várias vezes.

Portanto, faça uma gravação do que você precisa estudar, lendo em voz alta os textos, e depois ouça as suas gravações.

Você pode fazer isso até enquanto realiza outras atividades, como lavar louça ou tomar banho.

7 – Anote várias vezes

Escrever diversas vezes o que você precisa decorar e reter na memória ajuda a deixar o assunto mais claro e familiarizado.

8 – Separe as suas anotações

Se você for uma pessoa mais visual, será útil classificar as anotações em categorias diferentes e separá-las ou sublinhar trechos com cores e outros recursos.

Na hora da prova, algumas pessoas chegam até a lembrar da cor que utilizou para grifar a frase de que se lembrou!

9 – Repita, e repita, e repita

A fixação mais consistente dos conteúdos exige que você faça muitas repetições de suas gravações, audições e anotações. Não pense que você está perdendo tempo ao fazer isso.

Mas dê atenção e foco total quando estiver cumprindo essas repetições.

10 – Faça exercícios físicos e respiratórios

Muita gente acha que praticar atividades físicas e respiratórias significa perder um precioso tempo de estudo.

Mas é possível fazer atividades mais breves, de dois em dois dias, e obter vários benefícios disso, como ativar a circulação sanguínea, avivar a oxigenação cerebral e diminuir a ansiedade.

Você já tem uma boa memória? Talvez você ache que seja suficiente, mas não se engane: será possível aperfeiçoá-la ainda mais se seguir as dicas acima.

Como o Concurseiro Pode Relaxar na Véspera da Prova

descanso-sofa-preguica

 

Medo, nervosismo e ansiedade são comuns na véspera de um concurso.

Entretanto, esses sentimentos podem dificultar a concentração do candidato e até interferir em seu rendimento na prova.

Mas será que é possível relaxar nos dias que antecedem o exame?

Como afastar qualquer sinal de nervosismo e seguir focado?

Essas e outras questões serão respondidas para que você, concurseiro, se sinta mais seguro e confiante.

Confira as principais atitudes que devem ser tomadas para se obter um pouco mais de tranquilidade antes de realizar um concurso público:

Estudar ou não na véspera?

Essa é uma das principais dúvidas dos concurseiros.

Existem alguns candidatos que se sentem mais aliviados quando estudam na véspera e acreditam que isso pode trazer mais segurança e a sensação de que as disciplinas estão mais frescas na mente.

Por outro lado,  estudar no dia anterior ao concurso pode fazer com que o estudante entre em desespero por não saber determinado conteúdo.

Por isso, o recomendável é ter pelos menos dois dias que antecedem a prova para relaxar.

Passeie no dia que antecede a prova

Uma boa sugestão para aliviar o estresse do concurso é passear com parentes e amigos.

Mas evite atividades diferentes daquelas que está habituado.

Faça algum exercício ou até mesmo somente uma caminhada leve.

Escolha passeios em locais arborizados, tranquilos e que você goste de frequentar.

Não se esqueça de escolher bem a companhia, pois ela deve ser agradável e o concurso não deve estar dentre os assuntos.

Incentive o pensamento positivo

Descarte o pensamento pessimista.

Pense que você se preparou o suficiente para aquela prova e que tem todas as condições de passar no concurso.

Não sofra antecipadamente achando que a prova estará difícil e que não conseguirá fazê-la.

Seja sempre positivo e acredite que a sua aprovação uma hora vai chegar.

Evite boatos sobre a prova

Alguns candidatos fazem “terrorismo psicológico” em outros que não estão tão acostumados.

Tome cuidado com os boatos e as teorias conspiratórias que podem gerar insegurança e bloquear o seu raciocínio durante a realização do exame.

Mantenha distância desse tipo de pessoa que só pretende prejudicar o outro, achando que desestabilizando o concurseiro irá eliminar um candidato.

Durma bem e prefira alimentos leves

A insônia é uma das principais vilães dos concurseiros, pois há aqueles que preferem estudar de madrugada.

Você deve controlar o horário de dormir para não ter dificuldade de acordar cedo no dia seguinte.

Outra dica é evitar alimentos gordurosos para não sentir nenhuma indigestão e estar bem disposto durante a avaliação.

O concurseiro focado na sua aprovação leva os estudos a sério e entende que deve relaxar na véspera da prova, pois tem convicção de que se dedicou ao máximo.

Assim, para fazer uma boa prova é necessário tranquilidade e bem-estar físico e mental para que você concentre todos os seus esforços na resolução das questões.

Como Começar a Estudar Para Concursos

Pessoa estudando3

Até mesmo bons e bem sucedidos executivos abraçam as apostilas e a tranquilidade de ter o Governo como patrão.

A estratégia na preparação dos estudos é o primeiro passo para um esforço que será recompensado. Afinal, haverá um investimento significativo de tempo e dinheiro cujo propósito final é a carreira pública. Neste aspecto tenho certeza de que não trago nenhuma novidade.

Pegue uma caneta e papel e responda às seguintes questões.

1) Qual a sua área de interesse? Qual o seu objetivo?

Aqui você deve pensar o que quer fazer quando estiver no serviço público. Penso no seu objetivo final, o seu “sonho de consumo”. Assim você saberá se prefere Executivo, Legislativo ou Judiciário. Essa é a primeira decisão que precisa ser tomada.

2) Quanto tempo e dinheiro pode dedicar à preparação?

É aqui que começa, de fato, a montagem da estratégia. Passar em um concurso público não tem fórmula mágica, é preciso dedicação por um bom tempo. Alguns conseguem o resultado esperado em 6 meses, outros em um, dois anos. Vai depender também dos recursos financeiros.

Quanto ao tempo, monte uma grade de estudos, como aquelas do tempo do colégio. Detalhe cada uma das suas atividades a fim saber o tempo que lhe resta livre para estudar. Seja o mais sincero possível neste momento e avalie se há atividades que podem ser substituídas por horas de dedicação aos concursos.

Ao que se refere a dinheiro, há dois caminhos: fazer uma poupança ou planejar os gastos mensais. No mínimo você irá gastar com material didático e inscrições. Se for possível, cursos preparatórios – presenciais ou online. Há muita coisa disponível na internet, só tome o cuidado com a qualidade do que é oferecido.

3) O que estudar?

Todo concurseiro tem que saber o que precisa estudar. Com a definição do objetivo fica mais fácil reunir o universo infinito de matérias. Deve analisar o edital para saber melhor como lidar com as disciplinas. Pegue um edital de um dos órgãos ou entidades administrativas que tem interesse. Separe o conteúdo programático por disciplina e por pontos de abordagem.

Comece pelas matérias básicas a vários concursos: Direito Administrativo, Direito Constitucional, Português e Raciocínio Lógico. Só depois de dominar esses conteúdos avance para as disciplinas específicas.

4) Como estudar?

Eis o mistério do mundo dos concursos e o ponto que nutre dezenas de publicação de auto-ajuda. Você terá que desenvolver um método próprio de estudos de acordo com suas habilidade de aprendizagem. Identifique se você tem resultados melhores escrevendo, lendo, grifando ou fazendo exercícios. No fim das contas, todas essas ferramentas devem ser usadas, mas vamos priorizar o que gosta de fazer para que não desista no meio de caminho. Afinal, algumas pessoas são mais auditivas, outras mais visuais.

O método mais básico segue a seguinte ordem: ler, grifar, fazer resumos/fichamentos, resolver exercícios e corrigir os exercícios. Cada bloco desta ordem deve durar no máximo duas horas. Passado esse tempo, muda-se de matéria e aplica o mesmo ciclo.

5) Como saber se está dando certo?

O ser humano é focado em resultado. É preciso avaliar como está a preparação, mas sem esperar que isso seja feito somente no resultado das provas. Pontue todos os exercícios que fizer e vá anotando para cada matéria os pontos que conseguir. Por exemplo, você estudou atos administrativos em direito administrativo e fez 10 questões. Dessas, acertou 80%. Portanto obteve 8 pontos, mas precisa saber o porquê dos dois erros. Retome a matéria e confira o conhecimento.

Espero ter ajudado!

 

Como o Sono Aumenta a Capacidade de Aprendizagem

Estudando com sono 1 Com alta resolução

Isso já aconteceu com você?

Você escuta um “amigo” falando que para passar em um concurso você precisa diminuir suas horas de sono. Então, seguindo a recomendações desse “amigo” você começa a usar uma dessas artimanhas para afastar o sono e permanecer acordado. Então, você se entope de café, de guaraná em pó, energético e outras “receitinhas” (há quem se arrisca a usar medicamentos sem prescrição médica) para manter-se acordado durante a madrugada estudando!

Se você ainda não fez, confesse: já teve muita vontade de fazer.

O sono aparece como inimigo número 2 de quem estuda para concurso. O número 1, como você bem sabe, é a falta de tempo e é justamente a falta de tempo que faz muitos concurseiros sacrificarem uma boa noite de sono para estudar.

Embora algumas pessoas tentem se privar do sono justificando que é por uma boa causa e que será por pouco tempo, essa prática pode ser muito prejudicial.

Você irá acordar no outro dia estressado, irritado, cansado e o pior de tudo, sem lembrar praticamente nada do que estudou durante toda madruga.

E mesmo que tente repetir essa mesma rotina no outro dia, seu desempenho ficará comprometido, pois a falta de descanso afeta sua atenção e concentração.

Isso acontece porque o sono é uma das partes mais importantes da aprendizagem. Mas, como você ainda não sabe estudar de forma compatível com o funcionamento do seu cérebro, você acaba desperdiçando uma boa noite de sono à toa.

Embora muitos achem que dormir é perda de tempo e que podem ser substituídas por horas de estudos, pesquisas feitas por neurocientistas provaram que o sono exerce uma função muito importante para a aprendizagem.

Estudar com sono não traz vantagem alguma. O melhor a se fazer é dormir no mínimo 6 horas por noite, mesmo que seja um desafio para muitos.

Ter uma boa noite de sono é o primeiro passo para uma boa aprendizagem dos conteúdos de estudo.

 

Como Manter o Hábito de Estudo

Livro e pessoa estudando

Por que é tão difícil para você seguir uma rotina de estudos? Descubra quais são as armadilhas e distrações que prejudicam seus estudos.

O edital ainda não foi publicado e você sabe que antecipar seus estudos irá lhe garantir uma vantagem sobre a concorrência. Mesmo sendo um “concurseiro iniciante”, você já sabe que no mundo dos concursos “tempo é ouro”.

Mas, por mais que você se esforce, os estudos não engrenam: não consegue seguir sua programação diária de estudos e quando consegue descobre ao final que as coisas não renderam como deveriam.

Nessa hora sempre vem aquele sentimento de culpa e você percebe ao passar dos dias que as suas chances de aprovação estão cada vez mais distantes.

Nessa hora talvez você se pergunte se realmente os concursos públicos são pra você. Afinal, você está fazendo tudo direito: conseguiu os melhores materiais para estudar, arrumou um local perfeito para estudar, organizou seu tempo, enfim, falta só colocar a “mão na massa”.

Às vezes você até se questiona sobre ter algum problema de concentração ou pensa não ser inteligente o suficiente para estudar para um concurso concorrido.

O começo dos estudos é sempre difícil, seguir um planejamento de estudos é mais complicado do que fazê-lo.

Meu objetivo é mostrar a você que:

Sim! É possível criar (e manter!) uma rotina diária de estudos;

Sim! É possível estudar e aprender sem que isso pareça uma tortura;

Sim! É possível estudar com o máximo do seu potencial de concentração.

Mas antes disso, você precisa entender o que está acontecendo dentro do seu cérebro: porque fazer uma coisa que você realmente quer pode se tornar uma verdadeira luta dentro de você.

POR QUE É TÃO DIFÍCIL COMEÇAR E RECOMEÇAR A ESTUDAR

como-melhorar-seu-rendimento-nos-estudos-4fbd3cdd88ad2

Você já se perguntou: Por que mesmo começando com muito entusiasmo não conseguimos manter o ritmo? Por que a motivação vai se esvaindo aos poucos e por fim desistimos de estudar ou estudamos apenas quando dá tempo?

A resposta a essas perguntas está relacionada diretamente com o nosso cérebro e a maneira como ele funciona.

Foi somente nos últimos anos que os cientistas começaram a desvendar alguns fatos sobre o funcionamento do nosso cérebro.

Uma dessas importantes descobertas (e que tem relação direta com a preparação para um concurso público) diz respeito à maneira como os hábitos são criados.

Dentre as principais descobertas científicas relacionadas ao funcionamento do cérebro, talvez a mais relevante (e ao mesmo tempo surpreendente) é a de que nosso cérebro não foi feito para pensar.

Na verdade, nosso cérebro faz de tudo para fugir de qualquer esforço! Depois de certo tempo realizando a mesma tarefa, o cérebro grava o padrão que permanece codificado na sua estrutura, dando origem ao que chamamos de hábito.

“Toda a nossa vida, na medida em que tem forma definida, não é nada além de uma massa de hábitos.”

O surgimento de um hábito é a maneira que o cérebro encontrou de poupar esforço, permitindo que sejamos mais eficientes no nosso dia a dia e que nos foquemos nas tarefas mais importantes, não em coisas triviais (já imaginou quão limitados nós seríamos se todas as vezes que fôssemos escovar os dentes precisássemos pensar se primeiro colocamos a escova na boca ou a pasta de dente na escova?).

O grande problema é que o nosso cérebro não sabe a diferença entre um hábito bom e um prejudicial. Quando um hábito se desenvolve, nós paramos de participar totalmente da tomada de decisões: nosso cérebro simplesmente desenrola o padrão automaticamente e age.

Para facilitar o entendimento, vamos supor que antes de tomar a decisão de se tornar funcionário público você chegava a casa, depois de um exaustivo e estressante dia de trabalho, trocava de roupa, pegava um lanche e se esparramava no sofá em frente à TV e, depois de um programa e outro, ia dormir pronto para encarar o outro dia.

Mas em um belo dia, você resolve que irá mudar sua vida: de posse de todos os materiais necessários, decide que, ao invés de ligar a TV, irá estudar. Aos poucos aquela motivação inicial vai dando lugar a incertezas e você começa a pensar: “que matéria difícil”, não sabe se vai conseguir aprender, pois nunca viu o conteúdo antes.

Além desses sentimentos de desânimo, seu corpo vai enviando sinais de cansaço: suas costas começam a doer, você não encontra uma posição confortável na cadeira…

Como se não bastasse, você não consegue se concentrar: começa a sentir sede, vontade de ir ao banheiro, de comer alguma coisa, ou seja, seu cérebro inventa qualquer desculpa para que você saia da frente dos livros o mais rápido possível e pare de estudar.

Por fim, depois de “lutar” por algum tempo contra essas sensações e pensamentos que “minam” seus esforços, você se dá por vencido e se convence a deixar os estudos para o outro dia (mas antes liga a TV para assistir o final do seu programa favorito e sente um alívio quando todas aquelas sensações desagradáveis de antes simplesmente somem!).

Essa situação descrita não ocorre só com você: aconteceu comigo e certamente ocorre com todos que decidem criar um novo hábito, não importa qual seja ele.

COMO DESENVOLVER E MANTER O HÁBITO DE ESTUDO

Pessoa estudando 00

Nosso dia a dia é repleto de rituais que repetimos automaticamente (estima-se que mais de 40% do que fazemos são hábitos), e inserir uma tarefa nova é sempre um desafio, sobretudo se ela exigir mais do nosso cérebro, tornando-se uma verdadeira batalha.

Mas, graças às descobertas científicas recentes, podemos tornar esse processo mais fácil e descomplicado.

1º) Identificar qual é o hábito que está lhe atrapalhando:
No que você fica pensando enquanto tenta estudar? Em sair, em assistir TV, navegar na internet?

2º) Entender esse hábito:
Cientistas descobriram uma sequência de acontecimentos que indicam ao cérebro qual padrão de comportamento deve seguir. Com isso, conseguiram perceber que um hábito está divido em três partes, as quais formam um loop:

  • Gatilho:estímulo que manda o cérebro entrar em modo automático e indica o hábito que você deverá usar. Pode ser uma emoção, um estímulo visual, uma hora do dia…
  • Rotina:é o comportamento desencadeado pelo gatilho. Sempre que o gatilho é disparado, seu cérebro já sabe o que fazer e segue a rotina que está acostumado.
  • Recompensa:Podem ser sensações físicas ou emocionais que ajudam o seu cérebro, a saber, se vale a pena ou não memorizar esse loop.

Identificar e entender melhor o hábito que está lhe prejudicando, dará a você a possibilidade de substituí-lo pelo hábito de estudo.

Mas esses são os primeiros passos.

 

10 Razões Para Fazer Concurso Público

Caderno e Caneta

Fortaleça seus objetivos e mantenha o foco lembrando sempre porque fazer concurso público!

Fazer concurso público requer muita dedicação, esforço e uma excelente preparação. Confira as 10 razões porque fazer concurso.

Estabeleça ou relembre sempre seus motivos para manter o foco e o objetivo.

  1. Segurança Financeira
    O emprego público proporciona ao funcionário a certeza do recebimento do valor do salário. Isto permite uma melhor organização financeira, inclusive com uma programação de gastos e poupança.
  2. Salário compensador
    O serviço público concentra 80% dos maiores salários do país. Há uma maior valorização do servidor, quando comparados às empresas privadas.
  3. Benefícios
    Geralmente, as instituições públicas oferecem benefícios aos servidores. Entre eles estão: plano de cargos e carreira, que garante ascensão e promoção, auxílio-transporte, auxílio-alimentação, plano de saúde, auxílio-creche, auxílio-maternidade e licença à capacitação. Alguns órgãos ainda premiam os funcionários com gratificações de exercício de função e titulação.
  4. Estabilidade
    A maioria das entidades públicas contrata pelo regime estatutário que confere estabilidade empregatícia. Ou seja, o empregador (entidade pública) não poderá demiti-lo sem justa causa.
  5. Democracia de idade
    O mercado de trabalho privado está cada vez mais restritivo com relação à idade. Com raras exceções, os cargos públicos podem ser ocupados por pessoas com idade entre 18 e 69 anos.
  6. Acessibilidade
    É de lei: quando for compatível com a função e no concurso estiverem sendo oferecidos postos suficientes, deverá haver reserva de vagas para pessoas com deficiência. Isto faz do concurso público a maior via de acesso dos deficientes ao trabalho.
  7. Sem currículo
    Muitas seleções de trabalho começam pela apresentação do currículo. O profissional é avaliado pelo que ele já fez. O concurso público iguala todos: O currículo não conta. Em alguns cargos específicos é exigida experiência, como em determinados concursos para juiz em que é requerido tempo de magistratura.
  8. Aposentadoria Integral
    Os servidores públicos contribuem com um percentual maior de imposto para previdência social. No entanto, ao se aposentarem receberão proventos do mesmo valor que o salário. Haverá, contudo exclusão de alguns benefícios em relação ao funcionário na ativa.
  9. Satisfação pessoal
    Passar em um concurso público, após esforço e dedicação, às vezes depois de algumas tentativas vai aumentar a autoestima e causar uma sensação de vitória.
  10. Ajudar a coletividade
    O servidor, no seu papel primordial, estará ajudando na construção e no funcionamento das instituições públicas, cuja finalidade é sempre prover o bem da comunidade, como a própria palavra já o descreve: “servidor público”. Este é também um excelente motivo para fazer um concurso público.