Como Entender e Interpretar Questões Para Concurso Público

faca-voce-mesmo-mario-cubo-interrogacao-decoracaoVOCÊ TAMBÉM TEM ESSA DÚVIDA?

Como entender e interpretar questões?

Você nunca consegue interpretar questões e com isso não consegue responder as perguntas e não consegue decidir qual a questão deve marcar?”

É muito simples você resolver esse tipo de problema. Sempre que você for começar estudar e não estiver adaptada ao estilo da banca que você irá enfrentar, terá dificuldade.

Para resolver esse problema você deve começar a resolver mais questões dessa banca para conhecer e entender o estilo da banca de seu concurso.

No começo você vai errar, não vai conseguir entender, e isso é normal. Mas com o tempo você vai entender o estilo da banca, como ela funciona, como o raciocino e a forma de interpretação da banca funcionam e você começa a entender e acertar as questões.

Recomendo que você que você faça isso, faça muitas questões, que aumente a quantidade de questões ao longo do dia e que tenha uma meta diária de resolução de questões, dessa forma você irá muito longe.

Como Administrar Melhor o Tempo Para Estudar Para Concurso Público

 Calendário3 

Estudar para um concurso não é nada fácil.

É preciso muita dedicação e, por isso, o tempo acaba ficando comprometido.

Muitas atividades prazerosas ou necessárias, como praticar um esporte e conviver com a família, acabam sendo deixados de lado.

Mas você sabia que com algumas atitudes você pode se organizar melhor e administrar melhor o seu tempo?

Quer saber como fazer essa “mágica” e fazer os seus momentos renderem mais?

Confira no texto a seguir:

Tenha uma agenda

Agenda3

Pode parecer uma dica das mais básicas, pois o uso de agendas é tão antigo quanto à falta de tempo.

Mas o fato é que ela realmente nos ajuda não só a conseguir organizar melhor o que devemos fazer, mas a controlar horários.

Coloque lá as suas tarefas de estudo, mas também não abra mão de ocasiões pessoais, como eventos importantes, ligações a serem feitas e datas a serem comemoradas.

Não esqueça também das contas a pagar: ser organizado pode render um dinheiro a mais que você pagaria de juros e multa!

Quando mais preparado estiver o seu horário, mais fácil vai ser administrar tudo.

Use a tecnologia a seu favor

iphone_nfl_calendar

Se a tecnologia pode atrapalhar o estudo, te deixando mais disperso, por que não usá-la também a seu favor?

Você pode programar o pagamento de contas em casa, pode resolver problemas pela internet ou telefone e usar até para fazer compras para a sua despensa.

Use a tecnologia a seu favor. Utilize a agenda e alarme do celular para lembrar as tarefas ou horários de estudo.

Aproveite o tempo que você perderia sem o uso da tecnologia e use para o seu estudo.

Aproveite os momentos de descanso

Descansando

De nada adianta você se matar de estudar se não descansar.

Isso é essencial para que você volte com tudo e faça o seu tempo render.

Como você sabe, depois de noites mal dormidas ou em momentos de estresse, de nada adianta passar horas se esforçando ou tentando fazer algo: é humanamente impossível.

Agora quando você está relaxado e feliz, tudo vem mais fácil e as horas parecem se multiplicar.

Organize a sua vida

Local-de-estudo

Se você é daqueles que tem um armário todo bagunçado ou uma mesa cheia de papéis aleatórios, com certeza perde muito tempo ao tentar achar roupas ou terminar aquele trabalho indigesto.

Se você organiza as suas coisas, pode até perder algumas horas no dia, mas economiza muitas subsequentes.

Use a agenda do celular para organizar o seu tempo.

Isso o torna mais eficiente, portanto, acaba sobrando tempo no final do dia que pode ser aproveitado nos estudos.

Termine o que começar

Um dos grandes problemas das pessoas que nunca têm tempo sobrando é que postergam ao máximo as coisas, depois se enrolam e acabam perdendo muito tempo para retomá-las.

Tente terminar tudo que começar, especialmente no estudo.

Não deixe para depois!

Finalize e aí sim colha os frutos do sucesso em seu tempo livre.

Isso realmente faz uma grande diferença!

Tomando essas atitudes, você verá o seu tempo se multiplicar e não será mais aquela pessoa estressada que vive na correria.

Organizar-se é fundamental.

Organizar a vida

A princípio pode parecer chato, mas quando você tiver horas e horas livres para o seu prazer, pode ter certeza: valerá à pena!

Como Criar um Plano de Estudos Para Concurso Público

Plano de EstudoBoa parte dos problemas encontrados pela grande maioria dos concurseiros poderiam ser resolvidos facilmente com a simples adoção de um plano de estudos.

Como assim?

Isso mesmo. Dentre as principais dificuldades encontradas pelos que estão na luta por um cargo público, as principais queixas são referentes a: falta de tempo, falta de concentração, dificuldade para se organizar para assimilar uma grande quantidade de matérias entre outras queixas similares.

No entanto, apenas a adoção de um plano de estudos bem elaborado poderia reduzir em muito esses problemas e aumentar significativamente as suas chances de aprovação, visto que a sua preparação passaria a ser mais produtiva e eficiente.

O que é um plano de estudos?

Bom, como o próprio nome sugere, um plano de estudos é um planejamento da sua rotina de estudos para concurso público. Basicamente você irá definir quando, como e o que irá estudar.

Como montar um plano de estudos?

Essa é a parte mais legal, quando você reflete sobre as suas atividades no dia a dia logo de cara você já descobre algumas coisas interessantes sobre a sua rotina.

Há várias formas de criar um plano de estudos, mas vou detalhar aqui um jeito simples que eu acredito que seja mais prático.

Primeiramente você deve criar uma planilha, seja ela no Excel ou até no papel mesmo, a planilha deve ter 8 colunas e umas 50 linhas.

Nomeie as colunas com os dias da semana e as linhas com os horários (de preferência por meia em meia hora), dessa forma:Tabela de horário

Depois disso você deve ir escrevendo e riscando ou pintando os horários em que você está sempre ocupado e depois os horários em que você está ocasionalmente ocupado. Marque tudo o que você lembrar, desde tarefas grandes como trabalho até tarefas mais simples e corriqueiras como almoçar, tomar banho, afazeres domésticos e etc.

Os horários que ficarem livres são os horários em que você poderá organizar a sua rotina de estudos, por exemplo:

Digamos que você tenha a seguinte rotina (bem simplificada apenas para efeito mais didático):

– 08:00 as 18:00 – Trabalho

– 18:00 as 19:00 – Trânsito

– 19:00 as 21:00 – Jantar, tomar banho e etc.

– 21:00 as 23:00 – Livre

– 23:00 em diante – Dormir

Nesse caso, você terá pelo menos 2 horas por dia sem contar o final de semana para estudar, é aí que você deve distribuir seus estudos.

Por exemplo:

Segunda-Feira das 21:00 as 23:00 – Estudar língua portuguesa

Terça-Feira      das 21:00 as 23:00 – Estudar matemática e raciocínio lógico

Quarta-Feira     das 21:00 as 23:00 – Estudar informática

Quinta-Feira     das 21:00 as 23:00 – Revisar matérias

Sexta-Feira      das 21:00 as 23:00 – Fazer simulados

Veja que esse modelo bem simplificado já traz uma organização que torna o estudo muito mais eficiente e fica muito mais fácil manter uma disciplina e a constância nos estudos.

As vantagens são inúmeras:

  1. Melhora na concentração– Com a rotina, seu cérebro vai se acostumar com os horários e vai se habituar com isso, logo você começará a ter mais concentração nesses horários e absorver melhor a matéria.
  2. Falta de tempo– Com o plano de estudos você consegue identificar horários perdidos durante o seu dia e com isso você consegue alocar mais tempo para o seu estudo.
  3. Organização –Com a rotina organizada seus estudos serão mais produtivos pois você saberá sempre quando e o que deverá estudar e não vai ficar com aquela sensação de esquecer alguma matéria importante.
  4. Disciplina– Com os horários definidos fica muito mais fácil programar as atividades do dia de um modo que não atrapalhe seu momento de estudo.
  5. Colaboração– Se mora com outras pessoas, fica mais fácil também pedir a colaboração dos familiares para que naqueles horários você não seja interrompido ou tenha que parar para fazer outras coisas.

Com o tempo você pode ir aperfeiçoando o seu plano de estudos e consequentemente ir otimizando o seu aprendizado.

Faça um teste e veja como seus estudos vão ser bem mais produtivos.

Bom estudo!

7 Dicas Simples Para Enfrentar o Nervosismo Próximo ao Dia da Prova

Você que esta se preparando para uma prova importante como concursos, vestibulares, exames da OAB, confira  nossas dicas para enfrentar o nervosismo nos dias que antecedem o dia da prova

 Todo mundo que já fez uma prova importante como concurso público, exame da OAB e algum vestibular, sabe que quando começa a chegar perto da prova o nervosismo chega junto, muitas pessoas são tão afetadas pela ansiedade que acabam prejudicadas na prova, quem não tem um amigo que estuda muito e não consegue passar?  Quem nunca teve um branco na hora da prova? O nervosismo pré-prova pode ser a resposta para essas questões, veja as melhores dicas para se preparar psicologicamente para a sua prova.

Nervosismo pré-prova

meditando

1 – Descansar a mente e se distrair

Segundo a psicóloga Ana Paula Huber, o candidato deve se distrair nos dias anteriores a prova, claro que sem excessos:  “É importante descansar a mente e se distrair, sem excessos. A cobrança é um fator que contribui muito para aumentar o nervosismo. Procure pensar em outras coisas e encarar a prova como fazendo parte de mais uma etapa, como tantas, que terá que enfrentar daqui para frente, e não como a sua única chance ou dar conta de todo o investimento que foi feito”.

2 – Leitura

Mirian Paura professora de pós-graduação UERJ sugere que o candidato leia as últimas manchetes dos jornais,  “Eu sugiro que o aluno leia, pelo menos, as manchetes dos jornais com as últimas notícias que estamos vivenciando para se manter informado. Depois, é importante descasar e relaxar”.

3 – E se der um “Branco”?

A professora Mirian Paura sugere, “Respire profundamente, peça permissão para sair da sala e beber um copo de água e, ao retornar, comece a ler desde o início. Assim terá mais força e maior concentração”.

4) Não estudar matérias novas na véspera

O candidato não deve estudar novas matérias dias antes da prova, “Não adianta atirar para todos os lados nos últimos dias. Deve-se passar por temas recorrentes de provas anteriores, como a crase, por exemplo, para se certificar de que aquilo está consolidado na mente”.

5) Roupas confortáveis

O uso de roupas confortáveis, “O candidato tem de ir com uma roupa que o deixe confortável quando ele estiver na sala de aula e que contemple possíveis mudanças de temperatura, tanto para o frio como para o calor, não existe nada pior que o desconforto, desconcentra e muito”.

6) Mude de ambiente

“Geralmente o candidato já se preparou por um longo tempo, e se ele for estudar nos últimos dias, vai reparar mais naquilo que ele não sabe e isso aumenta a tensão. Por isso, é necessário procurar fazer coisas que dá prazer para deixá-lo tranquilo”. Se o candidato acha necessário estudar ainda mais nos dias anteriores procure evitar conteúdos novos.

7) Seja otimista e acredite

A psicanalista e neurocientista Nancy Azevedo Cavaco, diz que o candidato precisa acreditar em si mesmo e que vai fazer uma boa prova, “O candidato tem que se comportar como alguém que tem capacidade para passar porque se ele pensar que vai ter dificuldades num determinado setor essas dificuldades acabam acontecendo por associação”.

Como em Concurso Público Podemos Identificar Nos Estudos Nossos Pontos Fortes e Fracos

Todos tem pontos fortes e fracos em quaisquer áreas da vida. Nos estudos é a mesma coisa: há matérias com as quais nos identificamos melhor ou temos maior facilidade de compreensão e outras que se tornam um verdadeiro desafio. Há ainda competências e habilidades específicas que adquirimos ao longo da vida e fraquezas com as quais devemos ter muita atenção. Aprenda agora a identificar seus pontos fortes e fracos para um melhor preparo para concursos públicos.

 Estudar para concursos público com matriz SWOT

SWOT1

Esta ferramenta é muito usada no contexto administrativo, em estratégias corporativas, em marketing e até mesmo em processos de Coaching, e pode ser muito bem adaptada às suas metas de estudo em concursos públicos. Com a matriz SWOT, você pode identificar suas forças (pontos fortes), fraquezas (pontos fracos), oportunidades e possíveis ameaças:

  • As forças são aqueles atributos positivos que você já sabe que tem. Estão sob o seu controle e você sempre pode recorrer a eles. Elas devem ser mantidas;
  • As fraquezas até podem ser qualidades em outros contextos, e desta forma, não podem ser vistas como algo ruim, mesmo que se apresentem como dificuldades, elas estão sob o seu controle e podem ser transformadas. Assim, seus pontos fracos merecem mais atenção;
  • As oportunidades são sempre externas. São fatores atrativos que servem de apoio ou vantagens que estão à sua disposição. Devem ser construídas ou aproveitadas;
  • As ameaças também são sempre externas e nem sempre são reais. Para preveni-las ou combatê-las, é preciso fazer um plano de contingência. Devem ser gerenciadas e combatidas;

Reconhecendo suas fraquezas e fortalezas

Faça uma boa análise de onde você quer chegar: qual o cargo pretendido no concurso público? Quanto tempo você tem antes da prova? Quanto tempo você dispõe para estudar?

Depois que analisar sua meta, é importante saber como irá lidar com seus objetivos – você pode colocar essa análise em um papel – serve para iniciar um planejamento de seus estudos:

  • Fortalezas:O que você sente bem em realizar, estudar ou se preparar no processo do concurso público? Quais seus recursos únicos (que dependem só de você) com os quais pode contar? Quais os pontos fortes que reconhece em você? Quais os pontos fortes que outras pessoas reconhecem em você? Faça uma lista, alinhando estas competências com o conteúdo que precisa estudar.
  • Fraquezas:O que terminantemente você precisa melhorar? Quais as matérias com as quais não se sente muito bem em estudar? Quais as disciplinas ou assuntos e uma matéria que menos conhecimento ou prática você tem? Em que você acha que deve melhorar? Quais fraquezas que outras pessoas já disseram que você tem (críticas)? Alinhe o conteúdo mais problemático com as suas fraquezas.
  • Oportunidades:Quais as oportunidades que você consegue perceber que estão à sua disposição e que contribuem para seus estudos? Quais as tendências que você pode aproveitar? Quais fortalezas você pode transformar em oportunidades de mudança de seus pontos fracos? Pessoas, materiais, cursos, tempo e quaisquer recursos contam.
  • Ameaças:Quais as tendências, hábitos e crenças sobre os seus estudos que podem lhe afetar neste processo de estudo? Quais destas fraquezas pode ser uma ameaça real que impeça de alcançar a sua meta? O que as pessoas geralmente fazem para superar estes desafios? O que você já fez no passado para se prevenir das ameaças e desafios de um concurso público? O que você pode fazer hoje para evitá-las?

Você pode ver que as oportunidades podem ser decisivas na potencialização dos pontos fortes e para compreender e transformar seus pontos mais fracos. As ameaças muitas vezes só se efetivam quando o estudante não consegue perceber suas fraquezas.

Na matriz SWOT, há o estudante que, mesmo que não tenha controle sobre as suas oportunidades e ameaças, pode usá-las para transformar seus pontos fracos e fortes. Conhecendo melhor suas competências e dificuldades, terá mais condições de passar no concurso público tão desejado!

 

Estudar as Matérias Para Concurso Público Antes do Edital

Pessoas estudando1ESTUDANDO ANTES DO EDITAL

O prazo entre a publicação do edital e a aplicação das provas é curto para iniciar a preparação devido ao programa e à quantidade de matérias exigidas.

Geralmente, este prazo é de 45 a 90 dias. Então, para ter um maior êxito no concurso o ideal é se preparar antes do edital.

ESCOLHENDO AS MATÉRIAS PARA ESTUDAR

Alguns fatores devem ser considerados na escolha das matérias para estudar antes do edital:

  • Geralmente, não sabemos a época em que se realizam as matérias, os programas abordados ou quando será o próximo concurso, pois ao contrário dos vestibulares, não há como fazer estas previsões em concursos públicos: é um processo que se altera constantemente.
  • É o chefe do executivo (prefeito, governador ou presidente) que determina o número de vagas e autoriza a realização de concursos dependendo das necessidades e do orçamento disponível. Portanto, não há como prever quais as carreiras, quantas vagas e nem quando serão autorizadas novas contratações e, consequentemente, realizados novos concursos.
  • Não sabemos se as matérias e o conteúdo programático do próximo concurso serão iguais às do último;
    Como o concurso público é um tipo de seleção de pessoal para verificar dentre os interessados quais os mais aptos para a função, o dirigente do órgão público, juntamente com a empresa organizadora, pode alterar as matérias em relação ao último concurso realizado, até para mudar o perfil do novo funcionário contratado.
  • A desatualização das leis ou códigos eventualmente exigidos em concursos.

Quem acompanha a área jurídica sabe que diariamente ocorrem alterações de leis e códigos. Mas qual atualização vale para concursos?
A regra é a seguinte: no concurso são cobradas as atualizações das leis até a data de publicação do edital.

Baseando nos concursos mais concorridos, verificamos que algumas disciplinas são comuns na maioria deles: são as chamadas disciplinas básicas. Outras disciplinas são exigidas em poucos concursos ou somente para uma carreira: são as chamadas disciplinas específicas.

Para estudar antes do edital o candidato deve:

  • Estudar as matérias básicas, comuns à maior parte dos concursos em que está interessado.
  • Evitar estudar matérias específicas de poucos concursos e matérias que sofram constantes atualizações como as de legislação.

Baseando em concursos anteriores podemos classificar as matérias comuns dependendo da área da carreira do concurso:
Matérias básicas para concursos da área fiscal (ensino superior): Português, Raciocínio Lógico, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Tributário, Matemática Financeira, Contabilidade, Estatística, Economia, Inglês e Informática.

Matérias básicas para concursos da Polícia Federal (ensino superior): Português, Raciocínio Lógico, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Penal, Direito Processual Penal, Matemática Financeira, Contabilidade, Economia, Administração, Redação e Informática.

Matérias básicas para concursos da área dos Tribunais (ensino médio): Português, Matemática, Raciocínio Lógico, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Penal, Direito Proc. Penal e Direito Proc. Civil.

Matérias básicas para concursos da Polícia Civil (ensino médio): Português, Raciocínio Lógico, Matemática, História, Geografia, Atualidades e Informática.
Por outro lado, existem matérias específicas para determinados concursos como o Regulamento do ICMS de determinado estado. Estudando antes do edital uma matéria específica o candidato corre os seguintes riscos:

  • Que a lei relacionada com da referida matéria sofra alterações antes do edital, tornando o que o candidato estudou desatualizado e, consequentemente, errado;
  • Que abram inscrições para um concurso em que não seja cobrada esta matéria prejudicando o candidato que poderia ter estudado uma matéria básica que será cobrada neste novo concurso;
  • Que haja alterações no conteúdo programático.

 

Como “Chutar” Certo Em Provas de Concurso Público

Chutar na provas de concurso

Aprenda algumas técnicas de como “chutar” em questões de provas de concursos e aumente suas chances de passar!

Você sabia que existe algumas técnicas que podem fazer um candidato acertar muito mais questões mesmo quando não se sabe a resposta? Pois é, o famoso “chute” que muita gente pratica por aí nas provas pode ter uma probabilidade de acerto muito maior caso os candidatos utilizem algumas dicas simples ao invés de simplesmente chutar ao acaso.

Estatisticamente falando, passar em um concurso público chutando todas as questões ao acaso é muito mais difícil do que acertar os números da loteria, então nem tente isso.
É claro que o ideal é que o candidato esteja sempre muito bem preparado para que saiba responder todas as questões, este é o cenário ideal, no entanto sabemos que isto é muito difícil de acontecer.

Quase sempre tem uma ou outra questão que não fazemos a menor ideai de qual resposta é a certa e nesses casos não resta outra alternativa a não ser chutar mesmo. Aí entra as dicas da técnica do chute, que ajudam a aumentar bastante à probabilidade de acerto.

Veja algumas dicas:

1º Dica – Eliminação

Primeiramente o candidato deve verificar se existe alguma questão com uma resposta absurda ou visivelmente errada, pode parecer simples, mas isso aumenta muito a sua probabilidade de acertar. Por exemplo: em uma questão com 5 alternativas, a probabilidade de acerto é de 20%, caso seja eliminado apenas uma alternativa a probabilidade já aumenta para 25%.

2º Dica – Repetição

Verifique se há respostas que se repetem, caso existam, estas tendem a ser as corretas. Por exemplo:
A) Cachorro e Cavalo
B) Vaca e Gato
C) Gato e Cachorro
D) Gato e Macaco
E) Cachorro e Macaco
Note que as palavras Gato e Cachorro aparecem mais vezes em todas as alternativas, então provavelmente a resposta correta é a C, pois reúne as palavras mais citadas.

3º Dica – Semelhança

Geralmente o examinador tende a tentar confundir o candidato colocando alternativas parecidas ou próximas da resposta correta. Com isso as alternativas que são muito semelhantes a outras provavelmente conterão a alternativa correta. Por exemplo:
A) 10,8
B) 15,2
C) 15,5
D) 18,2
E) 20,5
Nesse caso a alternativa B é semelhante ou próxima da C, então provavelmente uma das duas é a correta.

4º Dica – Generalização

Desconfie de toda alternativa que generaliza um determinado assunto, aqui vale a máxima que toda regra tem a sua exceção, quando houver alternativas desse tipo elas tem maior probabilidade de estarem erradas. Segue alguns exemplos de palavras que generalizam assuntos: nunca, jamais, sempre, completamente, incondicional, ninguém, todos, definitivamente e total.

5º Dica – Distribuição

Essa dica não é tão eficiente quanto as primeiras, mas pode ajudar em alguns casos. Estatisticamente, a banca examinadora tende a distribuir igualmente as respostas conforme a quantidade de alternativas e questões da prova. Por exemplo, se cada questão contém 5 alternativas e a prova contém 50 questões, provavelmente o examinador colocará 10 alternativas A, 10 B, 10 C, 10 D e 10 E. Então, quando for chutar, vale a pena contar quantas respostas já foram assinaladas para cada alternativa, a que tiver menos respostas deve ser o palpite. Mas caso tenha já muitas respostas erradas na prova, essa dica não funcionará bem.

Essas 5 dicas são comprovadamente eficientes, pois quando são aplicadas, aumentam muito a probabilidade de acertos ao invés de chutar sem nenhum critério. As próximas duas dicas não são baseadas em fundamentos estatísticos comprovados, mas existem muitos boatos que elas também funcionam:

6º Dica – Letra A

Muito se diz que o examinador que está elaborando a questão não gosta de colocar a resposta logo na primeira alternativa, pois dá a impressão que está facilitando muito a vida do candidato, então segundo essa teoria na dúvida não chute na A.

7º Dica – Letra C

Ao contrário da letra A, dizem que geralmente o examinador tem a tendência de colocar mais respostas C, então na dúvida deve sempre optar por ela, além disso,  os mais religiosos e supersticiosos acreditam que a letra C, por ser a primeira letra de Cristo, pode ajudar a quem precisa e merece.

Bom, estatísticas e boatos a parte, estude sempre para não ter que precisar chutar, mas se precisar chutar, saiba chutar bem!

Boa Sorte e Muito Sucesso!

 

 

 

 

Como Estudar Para Concurso Público

 

Pessoa estudando-muito

Quer saber a melhor maneira de estudar para um concurso público?
Então você está no lugar certo!

Você encontrará nesta página diversas dicas e várias técnicas encontradas em livros de autores renomados como William Douglas, Lia Salgado e professores de cursinhos em todo Brasil. Confira!

Antes de começar a estudar, você sabe qual concurso irá prestar prova ou qual a sua área de interesse?

Isso parece básico, não é mesmo?

Mas o que mais vemos são concurseiros despreparados, que abrem a boca para dizer por exemplo que estão estudando para o Concurso da CAIXA e da Polícia Federal ao mesmo tempo! Como assim?
São áreas completamente diferentes, são ambições profissionais diferentes, são conteúdos diferentes.
Você precisa se decidir.

Escolha qual concurso deseja passar, confira os editais anteriores do concurso e saiba quais matérias estudar. O resto, nós lhe ensinaremos com 4 simples passos.

1 – Método de Estudos

Estudar para um concurso exige dedicação e um método eficiente. Você precisa se organizar e criar um método de estudos. Sem organização você não irá passar.

Um dos melhores métodos conhecidos se chama: ciclo de estudos.
Em um ciclo de estudos você estuda todas as matérias cobradas no edital, mas diversifica a quantidade de horas dispensadas para cada uma de acordo com o grau de dificuldade ou importância/peso na prova.

Por exemplo: Imagine que você domina ou tem facilidade em Língua Portuguesa, mas não sabe nada de Direito Administrativo.
Sendo assim, não faz sentido estudar o mesmo número de horas para ambas as matérias, certo?

Agora, imagine que você precisa estudar 4 matérias e irá estudar 1 hora para cada matéria, sendo assim, seu ciclo de estudos será de 4 horas.
Você pode concluir :

–  Em 1 dia  -> 4 horas de estudo (um ciclo completo)

–  Em 2 dias -> 4 horas de estudo

– Em 4 dias  -> 2 horas por dia

– Estudando uma hora por dia ou até mesmo em uma semana fracionando os minutos em diversos dias.

Isso vai depender da sua disponibilidade de tempo e quantidade de matérias a serem estudas.

As vantagens do estudo por ciclos não param no número de horas e no estudo periódico de todas as matérias. Quando você estuda por ciclos, você acaba “vendo” todas as matérias constantemente e pode se concentrar nas matérias principais.

Fique atento!

Não separe um número absurdo de horas para estudar em ciclos.

Quando passarmos muito tempo estudando o mesmo assunto ou matéria, o nosso cérebro entra em uma fadiga mental, ou seja, um cansaço que muitas vezes não percebemos. Essa fadiga mental fará com que o seu aprendizado diminua e esse é um dos maiores erros dos candidatos que desejam resultados rápidos.  Estudar de forma errada não te levará a lugar algum.

Como o ciclo de estudos é curto, o cumprimento das etapas estará sempre te motivando a estudar mais e mais, sem fadiga mental e com maior aprendizado. E motivação é uma palavra fundamental na vida do concurseiro. A cada ciclo concluído, sentimos a satisfação de dever cumprido e já percebemos uma evolução em cada matéria. É sensacional!

Como criar esse ciclo?

Em primeiro lugar: Esqueça a divisão de matérias por dia. Se você separar seus sábados para estudar Direito Constitucional e for chamado para uma festinha de aniversário imperdível, seu cronograma já vai para o espaço. Os ciclos de estudo eliminam esse problema, pois mesmo que você tenha um imprevisto em determinado dia, retomará da disciplina que parou.

Você irá separar suas matérias de acordo com o número de horas a estudar durante um determinado período, como em uma semana por exemplo.

O professor Alexandre Meirelles possui um livro chamado Como estudar para Concursos. É um ótimo livro. Nele encontramos a seguinte imagem que exemplifica bem o que é um ciclo de estudos:

Ciclo de estudo Ciclo-Meirelles

Viu como é fácil. Você não precisa seguir ordem de dias da semana, não precisa seguir um ritmo longo de estudos.

Nesse método você estuda apenas o que está no ciclo, no dia e hora que quiser.

Se em um determinado dia você tem 4 horas para estudar, então você pode estudar 2h30min de Contabilidade e depois 1h30min de Direito Administrativo.

Se no dia seguinte você tem apenas duas horinhas livres, você estuda apenas Direito Tributário. É simples. O importante é criar um ciclo e terminar o mesmo.

2 – Avalie seu progresso

Realize simulados constantemente, você precisa saber como esta fluindo os seus estudos. Faça simulados para cada matéria estudada no ciclo e anote os resultados para saber o quanto você evoluiu.
Comece com um pequeno simulados de 5 a 10 questões e vá aumentando conforme o seu progresso.

É importante conhecer a banca organizadora do seu concurso e também realizar questões de provas anteriores do seu concurso e da banca organizadora.

3 – Crie seus próprios resumos e mapas mentais

Compre um caderno só para resumos. É importante também que você faça tudo a mão e não digite. Quando digitamos fica tudo muito impessoal.
Outro ponto importante é a utilização das cores. Crie um esquema de cores para cada assunto ou tópico que você precisa memorizar, seu cérebro memoriza com muito mais facilidade quando vê cores.

Use letras grandes para chamar atenção de um determinado assunto, elas estimulam o canal visual e agilizam as revisões.

Essa questão da memorização é um fator crucial para passar em um concurso público.

4 – Local de estudo / Interferências externas

Esse ponto é muito pessoal, pois devemos respeitar o aprendizado de cada um, não podemos dizer o que é certo e errado, se cada ser humano é diferente.

Eu assimilo melhor quando estou em um lugar silencioso, outras pessoas não gostam do silêncio total, ficam até mesmo desconcentradas. Alguns estudam melhor sentados diante de uma mesa, outros preferem ler deitados em uma cama ou sofá.

Escolha a melhor maneira de estudar, porém, evite interferências. São as interferências externas que atrapalham o aprendizado.

Elimine as interrupções. Ou seja, desligue seu celular, fique longe da tv e explique aos familiares que sua hora de estudo é sagrada.

9 Dicas de Motivação Para os Iniciantes de Concurso Público

Studentin arbeitet am Schreibtisch 11, phantasierenDesmotivado nos estudos? Concurseiro confira as dicas para, manter ou elevar sua automotivação.

 

1.Evite estudar pensando ser algo “chato”, “doloroso” ou “desconfortável”.
Dessa forma, você já vai pensar negativamente, mesmo antes de começar e pode perder sua vaga.

 

  1. Eduque seus sentimentos e emoções
    Aprenda a cultivar pensamentos positivos, neutralizar os negativos, e a se concentrar em estudar para o concurso.

 

  1. Aprenda a cultivar automotivação
    Faça mentalizações de tudo de bom que você vai conseguir quando passar no concurso. Imagine-se aprovado no concurso e guarde a sensação boa que você vai sentir. Durante o dia, reviva esta sensação algumas vezes, até tornar-se um hábito.

 

  1. Nunca esqueça porque está prestando concursos
    Elabore uma lista, por escrito, dos 5 principais motivos que levaram você a prestar o concurso público. Procure por coisas e fato que possam levantar seu moral em momentos de indecisão. Tenha essa lista sempre à vista.

 

  1. Corte o mal pela raiz
    Quando começar a desanimar para estudar para o concurso, elabore um plano para espantar o tédio: uma tarefa de fácil execução e de curto prazo e uma tarefa mais elaborada para ser realizada depois. Cumpra a primeira e isso irá reanimá-lo a prosseguir nos estudos.

 

  1. Não se acomode
    Mude. Varie a forma de estudar para seu concurso público, seja lendo, fazendo exercícios, assistindo vídeo aulas, mude sempre.

 

  1. Mexa-se 
    É difícil alguém alimentar a automotivação para concurso ficando sentado ou deitado. Quando sentir o desânimo brotando, levante-se e realize exercícios.
  1. Afaste a ideia de desistir do concurso
    Se as coisas não estiverem como você deseja, resista ao desejo de desistir e pense ser mais forte do que isso. Portanto, pare, respire fundo e retome seus estudos.
  1. Você é seu maior adversário
    Os estímulos externos são importantes, mas, somente você pode se manter motivado. Então, priorize seu estudos para concurso público com satisfação.

 

Bons estudos!

Treinando Para Concurso Público – Treinamento, Adaptação e Automação

Atleta treinandoTreinamento, Adaptação e Automação

Imagine um atleta que só treina uma vez por semana e resolve encarar uma competição nacional contra centenas de competidores.
Bem, acho que você já sabe como esse atleta vai se sair na competição!

Agora mude o cenário e imagine você encarando o concurso do Banco do Brasil, PRF ou Receita Federal contra centenas de candidatos.
Você seria um concurseiro preparado para a prova ou um concurseiro despreparado como o atleta da história acima?

Você precisa treinar.
Você precisa estar bem preparado.
Você precisa simular o “combate”.

E isso você só consegue realizando provas anteriores e resolvendo questões da banca organizadora do seu concurso.

Você precisa treinar com questões para se adaptar a banca e gerar uma automação mental.
Quando você realiza um número de simulados e questões semelhantes, você cria uma automação, ou seja, seu cérebro entra no automático e realiza as questões de forma muito mais fácil. O seu olho fica calibrado para identificar o que a banca esta cobrando naquela questão.

Foque em questões da Banca Organizadora do seu concurso.

É impressionante como vemos questões repetidas ou semelhantes em provas diversas realizadas pela mesma banca organizadora. Se você treinar de maneira correta, com questões da banca organizadora, eu posso te garantir que na hora da prova você já saberá vários gabaritos só de olhar a questão!

Simule a prova.

Separe algumas horas e tente efetuar a resolução de um número específico de questões que simulem a extensão de sua prova.
Exemplo: As provas do concurso da Polícia Federal possuem 120 questões e podem ser realizadas no prazo máximo de 4 horas. Sabendo disso, você pode separar 4 horas em um dia qualquer e simular uma prova resolvendo 120 questões. Cronometrando assim o seu tempo, você terá uma dimensão de quantas horas levará para resolver sua prova oficial e ficará muito mais tranquilo no dia da prova.

Outro ponto importante: Saiba quantas questões caem de cada matéria, o peso delas e o mínimo para passar. Se organizando desta maneira você saberá quantas questões deve treinar no simulado e quais matérias devem ter um peso maior na simulação.
Não adianta nada estudar 1000 questões de língua portuguesa se o peso da matéria é 1 e serão cobradas 10 questões na prova, e estudar 100 questões de direito administrativo com peso 2 e com 40 questões na prova. Não faz sentido não é verdade?

Pois bem, não faz sentido, mas o que mais vejo por aí são concurseiros despreparados que não sabem nada sobre a banca, não sabem nada do edital e não se organizam. Se preparam de forma errada, aleatória e se acham “preparados” como o nosso atleta do começo da história.

Não perca tempo e comece agora mesmo sua preparação.